2.1.10

S. Silvestre dos Olivais 2009

Desde 1992 (33'15'') que venho participando nesta prova, deixei de participar em 1999 até 2002, devido a um problema com a organização da prova, mas a culpa não era da organização mas sim dos xicos-espertos de alguns veteranos que ou eram seniores que corriam com dorsais deles ou os mesmos não faziam a prova toda escondendo-se atrás dos carros, ou cortavam caminho e quando achavam oportuno entravam na prova e claro para ficarem nos primeiros lugares. Quando a organização chamava por eles para receberem o prémio nunca lá estavam e era sempre o delegado da equipa (outro trafulha igual ao veterano) que recebia o prémio por ele. Então era uma confusão tamanha que desisti de participar.

O melhor tempo que lá consegui foi em 1994 (31'37'') mas esta prova nunca tinha 10.000 metros já que na época era tudo mais ou menos, e era sempre mais para menos do que para mais (excepto uma meia-maratona da Ponte 25 de Abril em 1999 que tinha mais cem metros que o devido) todas as outras provas não se podia tomar a quilómetragem dada pela organização como verdadeira, como afinal ainda hoje acontece.

Esta prova já teve vários locais de partida, muitas vezes começava no C.C. dos Olivais e acabava na Junta de Freguesia (no ano seguinte seria ao contrário), já se chamou S. Silvestre de Olivais e Moscavide, mas actualmente parece que não houve alteração do percurso pois em 2005, ano que deixei de participar de novo mas devido a lesão, já era este o percurso.

Muita chuva, um trânsito imenso, e dei com o local nem sei como. Todos os anos é o mesmo problema, nunca sei onde fica a Junta e vejo-me nos Olivais, de carro, perdido.

O Joaquim Adelino lá tinha os dorsais do CCD de Loures à espera do pessoal e aos poucos lá foram aparecendo os conhecidos, a filha Susana, o António Almeida, a Isabel e o Vítor Veloso, a família simpática do Luís Mota e acabei por ser reconhecido pelo Pedro Ferreira, é o que faz levar sempre o mesmo boné para as provas. O Pedro fez-me lembrar um irmão meu, sempre com a piada na ponta da língua e enquanto o pessoal ri a bom rir ele fica impávido e sereno.

Encontrei o Fernando Andrade onde aproveitei para comprar o livro Melíadas de sua autoria e logo ali autografado (Andrade, parabéns pela tua veia poética, já está quase todo lido).

Na partida fiquei na conversa com o Carlos Coelho e o Fernando Andrade e o Carlos que pensa participar na Maratona de Sevilha e de Paris ficou admirado pelo facto do Fernando ter feito já essa prova (Sevilha) por onze (!!!) vezes.

Dado o tiro de partida lá fui mais o Carlos, mas como sabia que o caminho estreitava logo de início e dava azo a pequenas quedas (e ia mesmo caindo porque uma senhorita "passou-me" uma rasteira) lá fomos devagar, disse para o Carlos: - Deixa-os ir porque daqui a pouco vem as subidas e é lá que se faz a selecção de valores. Claro que muitos que começaram a 100 à hora passado pouco tempo já iam devagar, devagarinho!

O Carlos ficou com uma conhecida e eu fui por ali fora. Aos 5km ia com 23'15''. Mas uma poça escondia um buraco, torci o pé direito e senti uma guinada na coxa direita. Como o corpo reage à dor reduzi o andamento e deixei a endorfina actuar. A dor atenuou e assim voltei a um andamento económico para não agravar e acabei a prova em beleza, pois com aquele mau tempo e acabar faz de todos nós uns vencedores.

Molhado mas satisfeito.


O ano 2010 vai ser o início de uma nova forma de praticar este desporto. O objectivo agora não são os prémios monetários, as medalhas, as taças mas sim encarar cada prova como o amigo Adelino faz. Participar em provas que durante tantos anos de corrida nunca as tinha feito; Raids, trails e trilhos vou experimentar esta nova vertente do atletismo, com a companhia do pára, ninguém nos para! De 83 kg que tinha no início do ano estou agora com 74. Peso ideal para encarar os novos desafios.

Haja saúde e é isso que espero para mim e para todos aqueles que vão começar em 2010 a calcorrear de novo as estradas e caminhos do Mundo.

Como Sócrates dizia (não este mas o filósofo): «Não sou nem ateniense, nem grego, mas sim um cidadão do mundo."

Sejamos na corrida, e em todos os aspectos da nossa vida, cidadãos do mundo!



P.S. - Os meus agradecimentos ao Joaquim Ferreira e ao João Inocêncio do CCD de Loures pelo envio da foto que aqui está.

4 comentários:

Fábio Pio Dias disse...

Olá Mário!

Antes do mais parabéns pelo magnífico tempo alcançado em 1992.

Que 2010 lhe traga então esta nova forma de encarar as corridas, o mais importante é sempre participar, e decerto que com essa atitude uma coisa ganhará sempre, saúde (além disso 9 Kg já eram...), que afinal rege seja a nossa vida pessoal e desportiva. Sendo assim também irá fazer trilhos, no ano passado fiz Entre a Serra e o Mar e adorei, voltarei a repetir, parece que estamos a praticar montanhismo,corremos no meio de silvas a arranhar as pernas, pedras e pedregulhos, ,túneis,areia, ora temos que correr ou andar porque só passa um de cada vez...

Agora nós é que temos que ter cuidado, duas forças especiais um Paraquedista e um Comando juntos,só podem detonar o asfalto:))

Agora consigo entender a moda da partida das mulheres primeiro afinal é para não nos passarem rasteiras :)

De um cidadão de Mundo,
Fábio

Pedro Ferreira disse...

Olá Mário,
Continua com a mesma alegria para este ano que agora começa!
Grande abraço!\\\\\\\\

JOSÉ LOPES disse...

Olá Mário
Parabéns, mais uma S.Silvestre para o histórico.
(já não sei quantas vezes te dei os parabéns mas, ainda bem, é sinal que se continua a correr).

Bela história da corrida contada ao pormenor, que é como nós gostamos e e com um agradável toque nostálgico.

Essa da participação em trails, raids e trilhos é capaz de ser boa ideia para variar do alcatrão, existe o contacto com a natureza aumentando com isso a motivação , que é muito importante a partir de certa idade.( em todas as idades)

Com os cumps
J.Lopes

BritoRunner disse...

Confirmo a inscrição nos Trilhos do Almourol, vai ver que não se vai arrepender, as vistas e o percurso é muito bonitas (mas eu sou suspeito)e ainda por cima com a companhia do Adelino vai ser um espectáculo.

JCBrito