8.2.10

Correr o Zeca em Grândola



Zeca Afonso
José Afonso - Foto: Mário Lima


Da última vez que tinha ido correr a Grândola (2005) tinha-me ficado na retina uma forma de se jogar à malha no Jardim Central que me fez desta vez levar a máquina fotográfica para registar o momento. Tive azar, desta vez não havia ninguém a jogar esse jogo tradicional. Fica para a próxima!

De todos os que tenho em referência no meu blogue nos «Quem Corre Comigo» só me faltava conhecer o Carlos Lopes. Assim aconteceu e até em conversa com o Carlos verifiquei que tínhamos algumas coisas em comum, do país onde o sol castiga mais.

A equipa do CCD de Loures esteve presente em bom número e todos, dentro das sua possibilidades, tiveram boas prestações.

CCD Loures
Alguns elementos do CCD de Loures- Foto: Mário Lima


O aquecimento foi feito em companhia do Vítor Veloso, onde conheci a filhota, a simpática esposa e mana.

À partida, agora, tenho sempre a companhia do amigo Carlos Coelho (Carlos como não tens blogue aqui fica o desejo de uma boa Maratona em Sevilha). E ali fomos nós pelas ruas de Grândola, terra da fraternidade! O povo é que agora nem sempre mais ordena, mas isso são outras histórias.

Dada a volta, o Carlos ficou-se e vim a ter a companhia do Vitor e, conversando, lá fomos percorrendo os kms. A nós juntou-se o Pedro Ferreira e, como disse o Vitor, em boa companhia nem se dá pelos kms a passar. No km final, numa subida (o meu calcanhar de Aquiles) o Vítor lá se foi, embora nos incentivasse a acompanhá-lo mas nem eu nem o Pedro estávamos para ali virados.



Após a pequena subida, tal como aconteceu em Sintra (embora o desnível fosse menor), dei uma de “sprinter” (coisa que faço sempre que possa, o que já me valeu uma chatice em Benavente) e a distância entre mim e o Vitor foi diminuindo. Mas a meta estava próxima e assim o trio acabou com pequenos segundos de diferença.

final
A terminar a prova - Foto: Ruth, esposa do Vitor

No final ali ficámos os três ofegantes mas satisfeitos. Obrigado Vitor e Pedro pois convosco já tirei mais dois minutos ao que vinha fazendo ultimamente nos 10 km.

Tempo: 48'37''

A seguir foi o almoço onde, mesmo aconselhado pela esposa do Luis Lourenço, não consegui comer as famosas migas alentejanas mas “vinguei-me” comendo a seu conselho, uma sericaia (e eu a pensar que com este nome fosse algo que nada tivesse a ver com a nossa doçaria).

sericaia
Sericaia - Foto da net

Segundo os cânones, a sericaia teve origem no Convento das Chagas de Vila Viçosa. Mas no Convento de Nossa Senhora da Conceição ou no de Santa Clara, em Elvas, o doce passou a fazer-se de outra forma. Acrescentou-se-lhe a canela e um ingrediente essencial: a ameixa de Elvas. Hoje em dia onde quer que peça uma sericaia, há 90% de hipóteses que esta se faça acompanhar pelo dito fruto.

E foi com ameixas que comi o dito doce. Abençoado convento.



8 comentários:

Pedro Ferreira disse...

Mário,
Obrigado pela companhia!
É sempre um prazer correr bem acompanhado.

JOSÉ LOPES disse...

Boa noite Mário

Parabéns por mais uma corrida concluída com um bom desempenho.
Digo isto, porque observando a posição da perna na foto parece que estás num bom ritmo,
e também pela descrição da corrida.

O petisco final (doce) após uma corrida também sabe bem.
Não conhecia esse doce.(Sericaia)

Um domingo bem passado.

continuação de muitas corridas

com os cumps
J.Lopes

Anónimo disse...

Olá Mário
boa prova em Grândola, que o poeta disse da farternidade, que o poeta disse que era a terra onde o povo mais ordenava...
Agora nem o povo ordena e até a fraternidade está em crise, não só em Grândola.
Gostei muito de participar em 2008 mas este ano não resisti a uma prova aqui à porta de casa.
Continuação de boas corridas e penso que a próxima juntos será no Entroncamento.
Boa semana.
Abraço e beijos das meninas.
António

Fábio Pio Dias disse...

Olá Mário!

Que bom que é ver o amigo a ficar em plena condição física.

Mais um belo relato da prova e do convívio entre os atletas e amigos.

Contudo fez uma maldade...fiquei com água na boca, com essa tal sericaia, doce conventual que já provei, mas que não se deverá comparar com o que o Mário degustou, até porque a que comi, não tinha ameixa.

Um abraço e fique bem?

PS: Vai dia 14 à Cascais?

Carlos Lopes disse...

Olá Mário

Muitas coisas em comum que temos... a corrida, o sentido da tropa, bem o país onde o Sol é muito Quente.

tive muito gosto em o conhecer, a muito que andava a procura do Mário, mais andávamos sempre no desencontro. parabéns pela prova e até Cascais.

Vitor Veloso disse...

Amigo Mário,
Fui uma prova muito boa desde o principio no aquecimento ate o final Na despedida.
Uma mais uma vez corri ao seu lado com uma enorme satisfação, aquela parte final foi feita em beleza!!
Próxima , Cascais!
Grande abraço e Beijos
Vitor, Ruth e Carolina

Nadais disse...

mario gostei do teu sítio.

valeu!

nadais
http://corredorderua.blogspot.com

Tiago Silva disse...

Boa noite caro amigo Mário,espero que a Maratona lhe tenha corrido bem.
Infelizmente já queria ter postado este comentário no seu blog há algum tempo mas devido a uns novos pluggins que instalou não estava a conseguir.
Felicite-o bastante por o belo resultado obtido em Grândola e fiquei bastante feliz ao saber que foi representar um grande grupo de amigos a Sevilha..:)

Um grande abraço e espero vivamente por essa postagem da enorme aventura que terá sido a Maratona de Sevilha.