19.4.10

5ª Corrida Freguesia da Bobadela

A manhã tinha acordado bem chuvosa. Fiquei entre o levantar e o ficar no quentinho dos lençóis pois tenho andado todos os domingos em provas e seria um descanso bem merecido. Mas tinha prometido a mim mesmo participar nesta prova que pensava já tê-la feito mas não consta nos meus apontamentos. Olhei de novo o céu nublado pela janela e decidi ir.

Bobadela fica ali para os lados de Sacavém. A minha prova seria só às 11h da manhã. Estas provas das Colectividades têm diversos escalões que já referi aqui num outro tema.


Assim chegado ao local, fui de encontro aos companheiros de estrada, estes que já os conheço há muitos e muitos anos, agora com os trilhos são novos rostos que vou conhecendo. Alguns que já não me viam há muito tempo procuraram saber a razão da minha longa ausência e assim para além dos dois anos e tal de paragem devido à lesão, contei-lhes sobre os meus novos desafios que não se compadecem com os anos de alcatrão que juntos fizemos durante tantos anos.

O tempo agreste fez com que as provas se atrasassem e assim foi bem perto do meio-dia que a minha prova começou. Já tinha feito um aquecimento de quase uma hora e assim ao tiro de partida lá vou em bom ritmo. Foram 6.500 metros de sobe e desce, com alguma chuva à mistura. Como nunca liguei em saber quem e quantos seriam os meus “adversários”, fui correndo sabendo, através do meu amigo Camacho que ia um pouco à minha frente, que estaria bem colocado. Foram anos de “duelo” saudável entre mim e ele e também com o meu grande amigo Vítor Moreira...


... por isso se o Camacho estava ali é porque a minha classificação nos dez primeiros estava garantida. A meu lado, ia um companheiro do meu escalão, e aconteceu aquilo que nunca pensei fazer há tempos atrás, sempre que ele se destacava nas descidas eu apanhava-o nas subidas, eu que sempre fui fraco a subir ali estava a dar luta exatamente no meu calcanhar de Aquiles. Como referi, estas provas do concelho de Loures têm muitas subidas e descidas e eu sabia que perto da meta era a subir e foi aí que ataquei. O meu companheiro bem tentou acompanhar-me mas as forças faltaram-lhe e isolado cortei a meta. Classificação no meu escalão M55, sétimo lugar com 30’10’’ (4’38’’/km). Desde 2005 que não recebia uma medalha por ficar nos dez primeiros. Foi com emoção controlada que a recebi. Muitas vezes ninguém se apercebe que o coração acelera mais no receber de uma simples medalha que numa prova inteira.


Foi bom rever tantos companheiros que me chamam de maluco quando refiro as provas onde estou inserido agora. Uma loucura saudável, pois olhar a natureza no quanto de belo ela tem, juntamente com a família e os bons amigos, é o melhor que se leva deste mundo.

10 comentários:

António Almeida disse...

Companheiro
parabéns pela medalha, essas têm um sabor especial.
Abraço.

Joaquim Ferreira disse...

Olá Mário!

Sempre valeu a pena (vale sempre) abandonar o "vale dos lençóis" para ir buscar essa medalha, aí pertinho da minha terra natal (SIAzóia.

Os meus parabéns pela participação (e claro, p`la medalha), pois por vezes, custa mais abandonar o conforto da nossa casa, do que correr depois a Prova!

Até Domingo (?) na Corrida da Liberdade, à tua porta!

Um abraço!

Anónimo disse...

Mário, obrigado pelo teu gentil comentário e ao qual retribuo com toda a minha amizade por ti de há já muitos anos.
Continua com a tua saudável "loucura" das grandes provas que eu nunca acreditei sinceramente que pudesses aguentar e que eu só de pensar nisso fico cansado.
Um abraço do
Vítor Moreira

Vitor Veloso disse...

Companheiro,
Este domingo fui traiçoeiro para muitos que optaram em ficar no vale dos lençóis, porque a chuva parou.
Parabéns pela medalha, ganha com o seu mérito.
Grande abraço
Vitor Veloso

Fábio Pio Dias disse...

Olá Mário,

Acabou por tomar a decisão certa, foi ao enontro dos bons e velhos amigos e ainda ficou entre os 10 primeiros no escalão.

Pois aqui está outro que pensa o mesmo mas não chamaria maluco mas sim aventureiro e corajoso, pois fazer as provas que tem feito e as que irá fazer ,inclusivé ultras-maratonas, não estão ao alcance de Todos.


Um abraço e boa semana!

JOSÉ LOPES disse...

Parabéns por mais uma medalha esta com outro sabor, foi obtida como veterano V.

Conheço o atleta da foto 7 que está à esquerda, costuma treinar no recinto da feira do Silvado.

Continuação de boas corridas.
Com os cumps
J.Lopes

Carlos disse...

Olá Mário,

Se pensavas que agora é que ias começar a "relaxar" enganaste-te :) Estás num crescendo saudável, fruto dos trilhos e do teu saber de longos anos de corrida. E espero que ainda fiques por muitos mais pois espero aprender também eu com as tuas lições e camaradagem. Olha, o pára está a pensar em mudar de boné :)
E tu?
Abração
Carlos Coelho

joaquim adelino disse...

Esta do Carlos Coelho deixou-me a rir, que memória, mas disse a verdade. A Boina vai começar a entrar em acção, vamos a ver.
Senti a falta do Comando no assalto ao Metropolitano, dali safei-me o pior foi na rua, quem me mandou a mim fugir ao Carlos ali perto do Arieiro? e ele nada viu, ainda bem o polícia foi rápido a resolver aquilo.
Pelas fotos estavam lá muitos amigos e também havia muitas ausências, pode ser que aquilo venha a melhorar.
Parabéns para ti,mesmo assim (como passa montanhas) ainda consegues correr a um bom ritmo.
Vou correr o 25 de Abril à Calhandriz, sempre são 10 kms e em montanha.
Abraço e boa corrida para Lisboa.

JAM disse...

Olá Mário, quem tem gosto e está habituado a correr, não há mau tempo que meta medo, e assim foi...coroado com um belo 7º lugar. Esta provas populares e ao pé da porta são por vezes as mais saborosas, pois encontram-se os amigos de sempre e é festa garantida. Um abraço e boas corridas!

Pedro Ferreira disse...

Mário,
Podias ter avisado que tinhas ganho uma medalha. Hoje bem me pareceu que eras doutro campeonato!
Parabéns!