29.7.10

Jacta Alea Est (os dados estão lançados)


Embora já tenha realizado maratonas, esta será diferente das outras porque a mesma se efectua em… areia.

Serão 43 km de Melides a Tróia que irá colocar-nos à prova quanto à resistência humana, pois a mesma será em auto-suficiência, excepto perto dos 28.5 km que teremos direito a um litro de água.

Acreditem que não me assusta o desafio. O pior desafio que tive que vencer em provas às quais não estava habituado, foram os 40 km dos Trilhos de Almourol, pois os 52 km da Geira Romana só não foram vencidos porque me lesionei.

Durante estas semanas que antecederam, treinei onde sempre treinei já vai para quase 20 anos na época do verão… na praia. Ou durante as férias no Algarve, ou na minha Costa da Caparica, é na praia que me sinto bem. Sou nortenho, nasci junto ao mar, na minha Póvoa de Varzim, sou poveiro de sete-costados. A minha pele foi curtida pelo sol de Luanda que tanto amei e pela Costa que foi vendo a minha mudança de menino e moço no “velhote” que começo a ser.

A família Lima na praia da Floresta na Ilha de Luanda. Estou ao lado da minha Mãe.

O treinar na praia não me dá mais-valias pois as areias são diferentes e quem conhece a Póvoa sabe bem o que eu digo. A areia da praia de banhos não tem nada a ver com a areia mesmo ali ao lado do porto de pesca. Uma areia grossa que se faz fina bastando passar por isso um cais.

Embora não seja muito de ler os artigos referentes às provas dos meus companheiros e tomá-los como o supra sumo da sabedoria popular quanto a este ou aquele evento, é neles que vou “beber” um pouco do que poderei fazer e que caminhos tomar no que relaciona ao equipamento adequado, alimentos a tomar e aos líquidos a ingerir durante o percurso.

Tenho a referir que quanto a isso, o resultado foi quase… zero. Não há “cultura” ainda pré-definida nos escritos que possam ajudar quem pela primeira vez vai participar numa prova desta envergadura.

Confesso até que me fez sorrir certos conselhos dados (via mail) o que tomar durante o percurso. Não vou dizer aqui o que me foi transmitido por respeito a quem mo informou, mas não faz sentido aquilo que ouvi. A experiência, de 20 anos de corrida, diz-me que é lírico aceitar como verdade, aquilo que aos comeres dizem respeito. Tem que haver o bom senso e não dar falsas pistas para que o “caloiro” consiga levar o desafio a bom porto.

Assim eu próprio delineei para mim o seguinte. Este proceder não significa que tenham que o seguir. Cada um de nós é um caso diferente e se há quem antes das provas goste de beber um bom cálice de vinho do Porto, acordar a mulher para ter uma relação sexual, sentindo que assim a prova lhe irá decorrer da melhor maneira, para outros assim não será e quem sou eu para afirmar que aquilo que vou escrever, é a verdade acima de qualquer de outras verdades. Tudo aquilo que vou fazer foi testado por mim durante os treinos e provas que fiz. Posso é durante a prova alterar o processo, pois nada é imutável. Já fiz provas em que todos paravam a abastecer-se e eu seguia sem o fazer. Que nada seja feito sem ser testado primeiro.

. Quanto ao calçado, está definido. Meias pelo meio da coxa e as polainas aí apertadas.


. Calções de banho de lycra, já testados, com vaselina nas virilhas (a vaselina também serve para isto).

. T-shirt de algodão, cores claras. As técnicas não são, para mim, muito apropriadas para este tipo de prova, sufocam-me!

. No camelback:


Limonada caseira referenciada no site da UMA, já a faço há 20 anos:

Água, açúcar, uma pitada de sal e sumo de limão (irei levar no cinto um depósito com iguais produtos para juntar à água que nos será fornecida aos 28.5 km)

Nas duas bolsas laterais – Água sem aditivos

4 Bananas, pois a banana é um energético natural, para comer aos 10, 20, 30 e 40 km, se tal for necessário.

Contendo 3 açúcares naturais (sacarose, frutose e glicose) combinados com fibra, a banana dá uma rápida e substancial elevação da energia de cada um.

Pesquisas provam que apenas 2 bananas fornecem energia suficiente para 90 minutos de exercícios extenuantes.

Não é por acaso que a banana, como energético, é a fruta número um dos atletas de alta competição.


. No cinto para além do telemóvel, um cartão de identificação, três GEL de maçã, duas a três barras energéticas, umas tabletes de hidratos de carbono (podem não ser necessários mas nunca se sabe), e o tal reservatório com o composto para se juntar à água.

. Na cabeça o chapéu, óculos de sol (como aprendi com o Parro, a melhor forma dos óculos não embaciarem é cuspir neles).

Para quem não está habituado à praia um bom protector não faz mal nenhum.

Como disse Júlio César há mais de dois mil anos atrás:

Jacta Alea Est (os dados estão lançados)


Estou preparado para o desafio, venha ele!

5 comentários:

Fábio Pio Dias disse...

Amigo Mário,

Os dados estão lançados, e o exigente desafio será vencido com toda a normalidade, pois está preparado para mais esta aliciante prova de superação, e a experiência irá dar o seu testemunho. Por pior já passou...por isso acredito cegamente que o objectivo será alcançado, para depois podermos comemorar.

Um abraço e fico a aguardar o relato da mesma.

Jorge Branco disse...

Votos de uma excelente UMA.
Acredite que fico com um certa inveja mas ser corredor de fundo é saber os nossos limites e eu não tenho pernas para me meter nisso.
Mas quem sabe um dia chego lá (ou volto a chegar lá porque já tive condições para essas loucuras)!

António Almeida disse...

Amigo
será um prazer ter-te na linha de partida em Melides, quanto ao que referes e no meu caso particular não costumo falar muito dos aspectos técnicos dos treinos e dos abastecimentos durante as provas (poderei explicar-te depois porquê), a única recomendação que costumo fazer é de não se experimentar nada no dia de uma prova que não se esteja acostumado, recomendação do mais básico que há mas que muitos esquecem.
No caso do raid e no site tem lá um conjunto de recomendações dadas por uma enfermeira que me pareceram bem sensatas.
Bom descanso e até domingo.
Grande abraço.

Vitor Veloso disse...

Grande amigo,
Estou a presenciar que esta mais que pronto para enfrentar a prova.
Domingo lá estaremos novamente juntos na partida.
Ate domingo
Forte abraço

JAM disse...

Olá amigo Mário, chegou o dia e dizem que não há um plano ideal para esta prova pois depende de cada um. Concordo com as tuas palavras e desejo-te as maiores felicidades para esta prova e muita sorte! Abraços!