25.8.10

A Maratona e eu

Fiz até os dias de hoje somente quatro Maratonas (1993, 94, 95 e 97). Nunca tive treinador. Os meus treinos eram baseados no que lia em duas Revistas, uma das quais era assinante a "Spiridon" e a "Revista Atletismo". Era nessas Revistas que ia "beber" todos os conhecimentos e planos de treino para o meu começar neste mundo de corridas.

Tirava os planos de treino para as várias distâncias e, conforme ia progredindo, aplicava esses treinos ao tempo disponível que dispunha, pois quem trabalha (alguém tem que fazer alguma coisa neste país) e por turnos, nem sempre pode seguir à risca tudo o que lá estava escrito.

Na época era de "mau" tom fazer-se Maratonas em mais de 3 horas. Estava assim convencionado e pronto, teria que se fazer das tripas coração e dar ao "pedal" para que ao bater do gongo das 3 horas se estar a cortar a meta. Outros tempos.

Por três vezes fui "excomungado". Só consegui fazer uma Maratona em menos de 3h (2h57'06'' em 1994). 1993 - 3h08'21'', 1995 - 3h04'04'', 1997 - 3h16'33''. Depois fartei-me de sofrer e nunca mais corri a Maratona. Tinha começado a correr em 1992 com quase 40 anos, um ano depois já fazia uma Maratona.

Os meus planos de treino foram estes nas últimas sete semanas para a minha 1ª Maratona e na Maratona do ano seguinte.

1993 ----------------------- 1994



No plano de treino de 1993, tinha observações em duas das provas realizadas. Na Meia da Nazaré considerei a prova como um treino, na Maratona é curioso o que escrevi, passo a citar:

«Na maratona até aos 21 km fiz 1h 23´. A partir dos 33 km comecei a ter dificuldades. Passei fases más. Em certas alturas tive que andar. Doíam-me muito os joelho. Recuperei nos dois últimos km's. Fiquei sem vontade de voltar a repetir

Fim de citação.

Repeti mais três vezes.



Claro que estes planos de treinos não servem para ninguém, só serviram para mim, pois cada um de nós é um caso e há que adaptar cada plano de treino ao tempo disponível.

Hoje, para mim, essa faceta está ultrapassada. O que é preciso é acabar bem qualquer prova, sem problemas e usufruir ao máximo o prazer da corrida. Mas isso sou eu a falar do alto dos meus 58 anos, para outros, mais jovens, decerto, as 3 horas continuarão a ser um marco. Para além das 3h o valor do atleta é nulo (ainda será assim?).

Dentro de meses três Maratonas farão parte do panorama nacional. São elas:

Maratona do Algarve, 10 de Outubro 2010

Maratona do Porto, 7 de Novembro 2010

Maratona de Lisboa, 5 de Dezembro 2010

Pode ser que ainda me decida a participar em alguma delas, talvez na Cidade Invicta... com a minha Póvoa tão perto!

4 comentários:

Jorge Branco disse...

Também só fiz 4 Maratonas.
O meu melhor seria 3:10:27 numa longínqua maratona do Inatel na Foz do Arelho.
Falhei a tentativa de baixar das 3 horas numa célebre maratona Spiridon na Granja do Marquês (Sintra) onde até choveu granizo! Mas não me queixo do granizo foi num dia quem que eu “não estava mesmo lá”.
Tive o privilégio, e a sorte, de ter participado em dois centros de treino para a maratona organizados pela revista Spiridon que foram preciosos para as minhas prestações e me deram conhecimentos e amizades que me ajudam ainda hoje.
Não descarto a ideia de voltar um dia a fazer uma maratona mas agora será para umas 5 horas e sem vergonha nenhuma!
Continuo a gostar de treinos longos mas a velocidade foi-se completamente.
Em duas horas devo fazer menos 6 a 7 quilómetros que fazia antigamente mas que importa isso se o prazer de correr é igual mesmo que já tenham passado 30 anos que comecei nesta vida?
Grande abraço.

Fábio Pio Dias disse...

Olá Ultra Mário,

Ainda não decidi se irei fazer este ano a minha primeira Maratona, até é bem provável que que assim o faça mesmo sem vontade/disponibilidade às vezes para treinar e neste caso irei optar pela de Lisboa, além de ser a última(Dezembro) permite mais tempo para encarar o desafio, sempre corro em casa.

Relativamente ao objectivo da prova será simplesmente cortar a meta, e não irei precisar da bola de cristal para afirmar que também irei ser excomungado, irei fazer bem muito mais que as 3 horas, mas para mim não terá a mínima importância, porque corro por puro lazer e o relógio é só mais um acessório.

Obrigado pela matéria e um abraço fraternal deste seu amigo!

Vitor Veloso disse...

amigo Mário,
isso e que era correr quem me dera um dia correr essas distancias nesses tempos.
Mário uma sugestão de maratona, eu vou ao porto participar na minha primeira maratona de estrada, gostava de estar perto de si.
Deve de saber, a Maria esta organizar o autocarro para os atletas se deslocarem, com hotel. Vá grande amigo já tem uma razão para estar presente, vamos lá estar todos.
grande baraço
bjs das meninas

joaquim adelino disse...

Óh mário, parece mentira, as 3 maratonas são para se fazer. Não quero estar condenado a fazer isto sozinho. Para começar temos já o Alqueva para abrir o apetite. Nãp te esqueças.
Abraço