16.11.10

36ª Meia Maratona da Nazaré

Quando o Imperador Júlio César “inventou” o calendário, conhecido pelo calendário Juliano, a contagem do tempo começou no século I pois os romanos não conheciam o nº zero. Estamos no século XXI quando deveríamos estar no século XX.

Este intróito vem ao facto de mais uma vez fazer a pergunta: «Para que servem os chips?». Se à partida de uma prova não há tapetes para assinalar o momento zero, logo, o tempo, começa ao tiro que se ouve. Se para chegarmos à linha de partida demorarmos dois ou três minutos, esse tempo é contabilizado como tempo efectivo quando afinal ainda nem começamos a correr. Este pecadilho não acontece só na Nazaré, acontece em tudo o que é prova.

Mais um ano mais uma vez Nazaré. Já não tenho em conta as vezes que lá fui correr (isto é tanga pois eu tenho o registo de todas as provas ).

Sábado à tarde partida para o Hotel, desta vez já não foi o do ano passado que se encontrava esgotado, mas para um outro belo Hotel (Hotel Miramar Sul), com uma paisagem magnífica, perto de um pinhal, só o sossego incomodava .

Uma visita nocturna pela vila, que relativamente ao ano passado estava muito parco de transeuntes. Depois do jantar regresso ao Hotel e ali aproveitei para ver o Sporting sofrer para ganhar à Académica.

De manhã o pequeno-almoço um pouco abundante pois a prova só teria início às 11h. Assim um pão com queijo, um croissante com doce e um pastel de nata acompanhado com um “abatanado” foi o manjar matinal.

O encontro com os amigos da blogosfera, o Daniel e a Susana já com uma barriguinha de respeito (é rapaz – disse a Susana.) e, juntamente com o pai (o Pára), iniciei a prova. Demos a primeira volta à vila e depois a subida até Famalicão. Aos 12,5 km, no retorno, resolvi acelerar, deixando o Joaquim entregue a si próprio, (como se um Pára necessitasse de um "Comando" para fazer um bom tempo, o que acabou por o fazer também. )

Com o amigo Joaquim Adelino na 1ª volta por Nazaré. Foto: Susana Adelino.

Como na classificação não há tempos intermédios (continuo a não perceber para que estavam lá os tapetes se não foram tomados os tempos de passagem) não sei a quanto fiz o km nesses últimos 8,5 km, mas penso que fiz entre 4’30’’ a 4’ 50’’. A intenção era chegar até ao José Melo, um bom amigo também da blogosfera, mas a distância entre nós deveria ser muita e tal não consegui. Fica para uma próxima, José conta comigo!!!

Com o José Carlos Melo e mais alguns elementos do Run4Fun.

Acabei bem, até deu para puxar por mim no último km e fiquei satisfeito pela prestação. O ano passado “arrastei-me” a partir dos 18 km. Este ano acabei em beleza. O tempo oficial foi de 1:54:19 e como este é que conta aqui fica o registo.

A chegar. Foto: José Carlos Melo

Parabéns à organização, pena foi que aos 15 km já não houvesse água, mas bem sabemos como são alguns corredores. Só pensam neles, os de trás que se amanhem.

Depois o almoço com o Joaquim Adelino, familiares e amigos, um reencontro com a família Almeida e Veloso (sempre em crescendo este rapaz) para colocar a conversa em dia e o contar de algumas peripécias do passado. O comprar dos “barquinhos” de chocolate que já vai sendo tradição e o regresso a casa com um tempo magnífico.

Um fim-de-semana em cheio.

6 comentários:

Jorge Branco disse...

Mais uma bela prova!
Parabéns!

luis mota disse...

Amigo Mário!
É sempre uma grande alegria estar na sua companhia.
Aproveito para enviar cumprimentos para a sua esposa que simpaticamente o acompanhou na Nazaré.
A prova é mais uma grande realização pessoal. Na verdade é bom conseguirmos acabar bem, mas o encontro entre a “rapaziada” é sempre uma parte que enche de alegria.
Tive pena da família não me acompanhar, mas foi altura de a Susan e a Mariana apoiarem o Luís Carlos, eu acompanho apenas os treinos (mas aproveito para treinar na pista).
Agora já tenho as baterias apontadas para outro grande objectivo – Maratona de Lisboa.
Uma boa semana para si e para a sua família,
Luís Mota
(Parabéns pela magnífica escolha musical ouvi enquanto escrevia)

joaquim adelino disse...

Obrigado pela companhia e ajuda,eu sabia o sacrifício que ias a fazer para te manteres ali ao pé de mim. Mas a amisade tem destes custos, aguenta-te.
Até aos 12,5kms foi um andamento excelente, aliás o ritmo já estava forte, eu mantive-me mas tu esticaste bastante, tanto que fiquei pregado ao chão. Estas férias familiares ali para as bandas da Malveira com ares bem "saudáveis"??? fizeram-te efeito, tanto que já não me atrevo a meter-me contigo.
Parabéns caro amigo, de facto foi pena a questão do chip, pouco te posso ajudar, quando me deixaste tínhamos 1,10h e acabaste com 1,54h, isto é, 44m para 8,600kms (a considerar que prova deu-me mais 290 metros. Foi um boa 2ª parte.
Agora espero-te na Mendiga, o bacalhau assado espera-nos.
Abraço

.JOSÉ LOPES disse...

Olá Mário
Mais uma boa prestação desportiva nessa prova mítica.

Pela foto a terminar pouco cansado.

Continuação de boas corridas

com os cumps
J.Lopes

Vitor Veloso disse...

Amigo Mário,
Estou a ver que não anda a baldar-se aos treinos, fez uma boa prova de recuperação muitos parabéns.
Enorme alegria reencontra-lo, e uma grande festa quando estamos todos juntos.
Questão dos chips e uma falha simples de resolver, não percebo!
Obrigado pela referencia que faz a minha pessoa no post, o constante incentivo e força que agradeço.
Quanto aos barquinhos não os provei, na próxima visita não vou dar tréguas.
Ate um dia destes, amigo
Grande abraço e bjos
Vítor e meninas

JAM disse...

Olá Mário, este ano estive (quase) para participar nesta prova mas depois o "calendário" não mo permitiu mas para o ano que vem vou fazer os possíveis. Parabéns pela bela prestação, foi um bom tempo conseguido, pena eles não façam o correcto uso dos chips. Um abraço!