18.11.10

Anos Dourados

Anos 60 e 70. Foram marcos na vida de uma geração. Milhares de mancebos eram recrutados para a Guerra no Ultramar. Muitos ali pereceram e muitos, depois da Guerra, em África ficaram. Era o tempo da camisa cintada e da calça à boca-de-sino.

Os Conjuntos Musicais em Portugal proliferaram devido ao boom vindo da Inglaterra com os Beatles. “Os Conchas”, “Os Ekos”, "Os Titãs", Conjunto "Académico João Paulo", Victor Gomes e os Gatos Negros, o Conjunto 1111 e tantos outros, punham uma juventude a dançar. Estávamos na época do Rock-and-Roll, do Twist, e da “Namoradinha que eu Sonhei”.

No Brasil Roberto Carlos era o Rei. A “Jovem Guarda” trouxe novos valores à canção brasileira; Antonio Marcos, Erasmo Carlos, Jerry Adriani, Os Incriveis, Rosemary, Wanderlea e muitos mais. E como esquecer o “Domingo à tarde” desse pequeno/grande cantor Nelson Ned?!

Ao som de muitas das músicas desse tempo se constituíram famílias. Nas farras lá iam as garotas com os paizinhos e ali se combinavam encontros, trocavam-se beijinhos e ao menor contacto lá estava o olhar furibundo do pai sempre atento às pequenas manobras corporais dos rapazes.

Foram belos tempos. As garagens e os quintais enchiam-se de música, e ali se dançava até altas horas da noite. As discotecas (boîtes) haviam mas não era a mesma coisa. A música francesa estava em força, Adamo, Joe Dassin, Richard Anthony, Demis Roussos fizeram as delícias dos casais apaixonados.

Da vizinha Espanha, foram as lágrimas deitadas por corações mais sensíveis com o António Prieto e a sua “La Novia”. De Itália vinha também o romantismo na voz do Gianni Morandi de quem tantos filmes vimos.

Dos EUA outros cantores, outros conjuntos, muitos sucessos e assim se fez uma época dourada. Hoje muitas dessas músicas perduram no nosso imaginário. Para que esse tempo não caia no esquecimento fiz uma recolha de músicas que nos embalou os sonhos. Não é, nem foi essa a minha intenção, uma recolha exaustiva de tudo desses anos, mas pequenas pinceladas de sons que ainda nos faz saltar o coração quando as ouvimos.

Para todos aqui ficam os Anos Dourados. Músicas dos Anos 60/70. Ouçam com o mesmo prazer com que as pesquisei e mesmo que uma lágrima furtiva vos corra pela face não há mal nenhum, é sinal que vivemos um tempo que a geração de agora nunca saberá como foi lindo pois, eles, infelizmente, não têm as mesmas referências musicais que nós tivémos.

 


Para colocar a página nos favoritos Clique Aqui
Depois é só guardar.

6 comentários:

Luis Parro disse...

Olá Amigo Lima,
Belas musicas da minha infancia, relembrei com carinho Gianni Morandi e outras.
Mas HOJE a musica é outra, então a dupla PáraComando vai falhar a 2ª Noturna das Lampas?????
Luis Parro

Vitor Veloso disse...

Mário,
Grande reportório de musica!!
Lembro-me de muitas delas quando os meus pais ouviam no carro e em casa, que ainda hoje ouvem.
Eu também ainda nos dias de hoje gosto de recordar, momentos de nostalgia.
Obrigado por partilhar estas musicas que fazem historia.
Grande abraço
Vitor

Fábio Pio Dias disse...

Olá ilustre Mário,

Parabéns por esta bonita e eterna compilação! Bravo!

Definitivamente as décadas de 60/70 foram as mais marcantes de uma geração marcada pelos movimentos civis, hippies, revolução sexual e igualmente também pela rebeldia, drogas, e guerra colonial.

Não fui desta época, mas desde cedo cresci ao ouvir todo este reportório aqui citado, e sei cantar e trautear a maioria das músicas.

Tudo graças ao meu pai que ainda têm guardado em discos de vinil a impressionante colecção de cerca de mais de 5000 discos e agora mais recentemente uns outros tantos em CD e DVD´s que foi adquirindo, uma autêntica valentim de Carvalho, e diz-nos que possui uma fortuna incalculável:-))

Contudo para mim a melhor década foi a dos anos 80, onde vivi com todo o esplendor a minha adolescência e inúmeras músicas e gruposm que ainda têm repercussão nos dias de hoje...

Um forte abraço cheio de saudosismo!

Mário Lima disse...

Obrigado amigos pelos comentários.

A música dos anos 60/70 (até 1975) marcou uma fase linda da minha vida.

Foi o tempo que transformou a criança que era no homem que passei a ser.

Foram momentos, que ao som destas músicas, embalou o meu sonho de ficar numa terra que considerava como minha e afinal levei uma machadada no sonho de um projecto com futuro.

Foram músicas que pela primeira vez senti o cheiro dos cabelos de uma jovem, no dançar, no namorar ao crepúsculo do pôr-do-sol dessa terra que tanto me marcou.

Foi ao som de muitas destas músicas que encontrei a mulher da minha vida que até hoje permanece a meu lado e que comigo passou uma guerra civil.

Muitas destas músicas já não as ouvia há anos, mas quando as voltei a ouvir, logo as letras das músicas me surgiram como se bastasse ouvi-las para abrir as gavetas da memória. Especialmente as músicas dos Conchas, foi um cantarolar com eles e sem engano possível na letra. Como é possível tantos anos depois ainda recordar estas letras?!!!

Fábio

A página musical dos anos 80 já está pronta. Englobo nela ainda algumas músicas dos anos 70 (depois de 75), mas a maioria é já dos anos 80. Como também foram do meu gosto (embora já numa outra fase de vida) em breve te darei conta delas neste blogue.

Abraços a todos.

JAM disse...

Olá Mário, palavras cheias de nostalgias sobre os tempos idos mas que ficaram marcados para sempre. Estou neste momento a ouvir "Palabras" de Patxi Andion, que ouvia vezes sem fim há 25/30 anos. A minha juventude também (ainda) foi passada a ouvir a maioria desta canções. Parabéns por este belo trabalho!

.JOSÉ LOPES disse...

Olá Mário

Belas músicas, algumas delas fazem- me lembrar momentos bem passados que não mais voltarão, fosse em discotecas ou em bailes populares ou em festas de garagem.

Vamos pensando (saboreando as coisas boas) no passado sempre com um olho no presente e no futuro.

Os anos 80 também foram uma boa "colheita"

Continuação de bons treinos com muita música.

com os cumps
J.Lopes