7.5.11

Terry Fox





 Terry Fox (28 de julho de 1958 - 28 de junho de 1981) sofria de um cancro e, em consequência disso sofreu a amputação de uma perna.

 Para arrecadar fundos para pesquisas do tratamento do cancro, Terry resolveu efectuar uma travessia do Canadá a correr... não obstante ter uma perna artificial. Começou em 12 de Abril de 1980 a sua jornada em São João da Terra Nova, em Terra Nova e Labrador, na costa atlântica, e pretendia ir até Vancouver, Colúmbia Britânica, na costa pacífica, numa jornada que acabou conhecida como Marathon of Hope (Maratona da Esperança).

 Terry Fox correu durante a Marathon of Hope, em média, o equivalente a uma maratona - 42 quilómetros - por dia. Após 143 dias consecutivos, e de ter percorrido aproximadamente 5 300 quilómetros, Fox foi obrigado a parar, quando soube que o cancro se havia disseminado para os pulmões. Acabou por morrer alguns meses depois, aos 22 anos de idade.

 Terry foi proclamado como um herói nacional, tendo recebido várias honras nacionais. A Maratona da Esperança arrecadou donativos num valor total de 4,46 milhões de contos, está na moeda antiga para se ter a noção do valor alcançado, para pesquisa sobre o tratamento do cancro.

......................


Pela primeira vez participei nesta corrida que vai já na sua 16ª edição. Prova que conta com com a colaboração da Liga Portuguesa Contra o Cancro e a Embaixada do Canadá e realizada no Parque das Nações.

Sem fins classificativos cada um corria ou caminhava o que queria. O intuito é o de angariar fundos para ajudar na luta contra essa terrível doença e pelo preço simbólico de 5€ tem-se uma t-shirt alusiva à prova.

Encontrei lá alguns amigos e com o José Carlos Melo fiz as primeiras três voltas.

Melo, eu, José Lopes e (?) Foto: Melo

Depois continuei sozinho (o Melo ia fazer no dia seguinte a meia-maratona de Setúbal), fiz 5 voltas, num percurso de mais ou menos 1.700 metros, e acabei com o Hugo Sacramento da 'Fundação VCS'.

Foto: AMMA

A nossa 'Fundação' mais uma vez presente e com o convívio final demos mostra que, quando se quer, no local de trabalho também se pode pôr as pessoas a mexerem-se. O próximo encontro agendado, será na Meia-Maratona da Areia na Costa da Caparica.

'Fundação VCS'. Foto: Liliana Pais

1 comentário:

JAM disse...

Também tive a oportunidade de participar no ano passado, tendo constatado que a grande finalidade no que se refere à corrida é apenas simbólica, tendo como principal objetivo a angariação de fundos para o combate ao flagelo do cancro. Pena poucos participarem mas penso que a organização também a deveria divulgar mais, não acredito que os meios de comunicação social mais importantes, não contribuíssem também para a causa, divulgando.