10.10.21

4° Corrida da UGT

Na sexta-feira ao fazer um ligeiro treino, deu-me uma dor forte no gémeo dto.

Gelo, anti-inflamatórios e massagem, foi a recuperação possível para a prova de hoje.

Já no JAMOR, confesso que ponderei não correr. Mesmo com o spray milagroso a dor não passava, mas já que ali estava...

Tiro dado, procurei não dobrar muito a perna, ou seja firme e hirta que nem uma barra de ferro. 😊

Aos 4 km a dor intensificou, mas já que tinha feito os 4 eram só mais 4 e o poder da mente perante a dor, inibiu-a à mínima dor possível e acabei a prova... que tinha mais 310 metros.

Tenho o gémeo parece um 'cepo', mas venha a próxima que esta já é passado.

Fotos com o meu grande amigo e veterano como eu Gilberto Gonçalves, e a minha afilhada da meia-maratona Anabela Luz Moreira (que fez uma belíssima prova tendo ficado em 1° lugar no seu escalão)

5.10.21

GP Vale Grande

Há já uns bons 10 anos que não fazia esta prova. De dificuldade elevada pois tem muitas subidas (o meu calcanhar de Aquiles), segui pela primeira vez de carro até à prova.

Como moro perto, ia em aquecimento até ao local, mas isto agora já não é como dantes, as sequelas respiratórias e a idade (embora um cota enxuto 😅) começam a pesar.

Partida dada e se inicialmente fui em bom ritmo, depois foi caminhar e correr até à vitória final: o ter terminado.

Se na prova do Francisco Lázaro acabei sozinho nesta, a 100 metros da meta, esperei pela companheira da Associação 'O Mundo da Corrida', Sónia Veiga e acabamos juntos a prova.

Na foto com a Sónia Veiga.

1.10.21

Aventura à flor da pele... e da mente

'Aventura à flor da pele' (Naked and Afraid) é um reality show onde pessoas passam 21, 40 ou 60 dias em um ambiente selvagem, sem comida, sem água e sem roupa. Elas precisam sobreviver da maneira que vieram ao mundo, buscando comida, lutando contra o clima e as adversidades.

Neste reality, os concorrentes chegam a emagrecer mais de 15 kg tal a violência do desafio. Aí chega o poder da mente para os levar até ao fim. Nem todos o conseguem, só os mais bem preparados.

Ontem ao fim de 3 km de treino, desisti. Muito calor e com problemas respiratórios, baqueei.

Hoje preparei-me mentalmente. A andar e/ou a correr, iria fazer 15 km. Faz hoje um ano que saí do hospital livre do Covid (andava metros, hoje corro km).

E a andar quando subia, ou correndo aquando plano e descia, fiz o que tinha prometido. Quando fraquejava, a mente fazia o resto.

25.9.21

XIV MEMORIAL FRANCISCO LÁZARO

Tendo-a corrido uma única vez em 7 de março de 1993, sendo a prova de 12 km que fiz em 46'33", não me recordava nada do trajeto e como nunca fiz trabalho de casa quanto a altimetria...

Foi com emoção e ao mesmo tempo com uma alegria imensa, o estar junto aos amigos e sentir a adrenalina da prova. Tudo o que conseguisse, exceto a desistência, seria uma vitória.
Mas não contava com aqueles 5 km sempre a subir. O desgaste foi enorme e quando não conseguia correr... andava.

Mas quem sobe também desce e, na descida aproveitava para embalar, não para ganhar lugares a ninguém, mas por me sentir vivo.

Subi, desci e acabei.

Sozinho como sempre, junto à chegada, interiorizei este meu regresso, como a força de um guerreiro que esteve às portas da morte, mas que nunca se dá por vencido.

Enquanto puder amigos, contem comigo.

E há na vida quem se preocupe com situações, sem importância alguma.

Obrigado à organização e aos fotógrafos presentes pelas fotos.