12.1.12

Passada Económica

Cada um de nós tem o seu ritmo de treino e de corrida. Durante anos corri com vários companheiros, cada um com a sua passada. Umas mais compridas, outras mais curtas.

Eu tinha a minha que me deu bons tempos mas também muitos cansaços. Um dos que admirava pelo facto de manter uma passada pequena e me dava no fim km's de avanço era o amigo Sílvio Bravo (na foto em primeiro plano).

Aquando a Maratona em 97 que, após a desistência da Umbelina (ver tema 'Os "Araras"'), andei por ali sem saber em que ritmo iria continuar pois era a Umbelina que marcava a cadência, o Sílvio Bravo não se atrapalhou e, no seu passinho miúdo, lá se foi.

Outro companheiro que tem essa passada é o amigo Camacho. Foi um dos com quem competi nas provas do concelho de Loures pois era do meu escalão, e por um lugar se ganha, por um lugar se perde. Eram mais as vezes que perdia com ele do que ganhava. Bem o olhava tentando ver nele sinais de cansaço, nem parecia que estava a correr muito, mas eu é que dificilmente o apanhava mesmo esforçando-me mais.

É sempre essa sensação que nos deixa quem corre nessa passada. Parecem lentos mas apanhá-los é que são elas.

Eu em esforço e o Camacho na maior

Na última Maratona que fiz, reparei que mantendo uma passada mais curta a prova não me tinha custado tanto. Seria da passada empregue, ou porque o fator tempo não era o mais importante?

Nos últimos treinos continuava com a mesma passada de sempre até que resolvi mudar. Um treino não é uma prova. Deve-se chegar ao fim sem grande cansaço. Deve-se manter um ritmo que não nos impeça de conversar e quando isso deixa de acontecer, é sinal que o treino ficou transformado em prova, levou-se o esforço longe de mais.

Tinha sempre a sensação que o treino não rendia porque chegava ao fim de uma hora cansado, e não baixava dos 5'43''/km para uma extensão de mais ou menos 10.560 metros.

Hoje experimentei a nova passada. Custou-me inicialmente não dobrar tanto os joelhos para a passada larga a que estou há tantos anos habituado. Mal dobrando os joelhos sempre com os pés a rasar o chão, tentando dar dois passos onde dantes dava um, fiz uma hora de treino. Surpresa final, percorri 11.290 metros a um ritmo médio de 5'19''. Fiz mais 730 metros que na versão anterior e o cansaço foi quase nulo.

O meu objetivo é fazer, em treino, 12km em 60' (5'/km). Sei que nunca mais voltarei a fazer em treino 4' ou menos por km e em provas 3'20''/km (Neste momento, nas provas faço abaixo dos 5'. Uma coisa é o treino outra a prova). Isso já pertence ao passado. Tenho que viver com o presente e esse presente é o tentar fazer pelo menos em provas 4'30''/km. Não sei se o conseguirei mas, nos tempos atuais, não vivo obcecado por isso. Se o conseguir muito bem, se não o conseguir a rotação do mundo vai continuar na mesma.

Se um dia se virem 'gregos' para me passar, não é por causa de mais treinos é por estar a cumprir o que a troika 'manda', agora... Só passada económica!

4 comentários:

Jorge Branco disse...

Bem eu sempre usei a passada curta e “rastejante”!
Nunca andei nesses teus andamentos de campeão mas ainda “despachei” uma maratona em 3:10:27
Agora um andamento desses nem num treino a descer!
Mas cá continuo, mesmo todo empenado, a treinar em andamentos que são um pouco mais rápidos que do que apliquei nas 12 horas em 87!
Mas o que eu gosto é mesmo de correr! Não dá para andar de outra maneira quero lá saber!
Já nem as provas me interessam muito, eu gosto é de correr e pronto!

João António Melo disse...

Amigo Marius, a rotação do mundo vai continuar na mesma...até ao 21 de Dezembro... altura em que vai girar ao contrário ;). Sobre as passadas curtas, também já ouvi falar que se vai mais longe e com menos cansaço, mas eu pensava o contrário, que com passadas mais longas o andamente seria mais rápido...
Bons treinos amigo!

K disse...

Amigo Mário, interessante análise e andamentos fantásticos pelo que leio!
Espero em Cascais poder acompanhá-lo! Não sei se a esse ritmo, mas o abraço vai lá estar!

Grande abraço

Paulo Sousa

.JOSÉ LOPES disse...

Olá Mário
Da nossa conversa no treino da feira sobre passadas curtas fizeste um bom texto.
(penso eu que te lembraste por causa dessa conversa).

Conseguiste mudar a tua passada?
Apos tantos anos a correr com determinada passada mudá-la agora exige muita concentração e esforço.

Eu ainda não consegui adquirir essa "tal passada" mas tb agora é mais dificil pq estou viciado na minha passada, ligeiramente diferente do que a curta e rápida.

continua a correr
cumps
J.Lopes