8.12.19

Meia-Maratona dos Descobrimentos 2019

"No mundo da corrida, não há homens nem mulheres, operários ou doutores... somos todos corredores!"

A última meia que tinha feito foi na Nazaré em novembro de 2016, após a Maratona realizada em outubro (feita para ajudar quem iria fazê-la pela primeira vez e em memória de uma sobrinha/afilhada falecida nesse ano num acidente).

A partir daí foi uma travessia no deserto, uma por falta de motivação, depois as lesões e outras situações, fizeram-me relegar para segundo plano as corridas.

Este ano tinha resolvido voltar a fazer a meia-maratona. Motivo, 'apadrinhar' quem iria participar pela primeira vez nesta prova.

Devido a uma dor que se alojou no 'gémeo' ainda em setembro, depois gripe e por fim uma outra dor que me fez andar a gelo e a Voltaren até ao dia anterior à prova, os treinos foram os possíveis.

À partida, ali estava com a minha 'afilhada' Anabela Moreira, e a amiga Eduarda Cristina que também ia participar pela primeira vez, que iria ter como 'madrinha' a atleta Varela São.


Embora novatas nesta aventura e embora conscientes da dificuldade, estavam muito serenas, mas ansiosas que a prova começasse. 'Tiro' dado e desejando que tudo corresse a contento, ali fomos. Foi uma prova muito bem conseguida, a minha 'afilhada' mantinha um ritmo bastante bom e constante, a alguns km corridos voltei um pouco atrás, e reparei que a Eduarda também ia muito bem, com a 'madrinha' a seu lado, dando-lhe o apoio e incentivo necessário.

Houve uma altura que devido às dores fraquejei, mas olhando para o rosto da minha 'afilhada' e ver nele 'retratado' toda a vontade em vencer os km que faltavam, as dores foram esquecidas e, com um final empolgante, terminámos a prova.


A alegria que lhe vi ao cortar a meta, foi elucidativa da felicidade que a invadia naquele momento. Um abraço emotivo foi a melhor 'paga' pelo esforço feito.


Pouco tempo depois era a vez da Eduarda acabar. Nova manifestação de alegria. O abraço sentido à sua 'madrinha' desta aventura, e as emoções à flor da pele. Essas emoções bem expressas de um sonho realizado, fez-me também feliz pois há ali também um pouco de mim e, por isso, sempre que possa, farei os possíveis para 'ajudar' quem se inicia nestas andanças, quem tem objetivos como fazer a sua primeira meia-maratona, a maratona, bater um recorde pessoal, o concluir o seu primeiro 'trail'.

Já ajudei, já fui ajudado e nesta altura, sem olhar se é homem se mulher, mas sim um companheiro(a) de estrada como eu, lá estarei para lhe dar o meu apoio possível.

eu, Anabela Moreira, Eduarda Cristina e Varela São


O certificado da prova




Sem comentários: